O Papel da Inteligência

18/03/2016

As graves acusações de interceptação da Agência Brasileira de Inteligência sobre o excelentíssimo senhor Juiz Federal Sérgio Moro levantaram um ponto importante: qual o papel da Inteligência de Estado?

A Associação Nacional dos Oficiais de Inteligência – Aofi sempre defendeu a existência de leis que estabeleçam de modo claro as atribuições e limites da atividade de Inteligência, e que orientem as áreas específicas a serem cobertas pela Inteligência de Estado.

Por isso, a Aofi felicita os deputados Heráclito Fortes e José Aleluia por seu compromisso em elucidar os fatos e questionar o papel da Abin. Será a oportunidade de abrir uma necessária discussão acerca da atuação do órgão. Esta discussão garante que a atuação da Agência seja legítima e democrática. O Estado não pode se omitir em orientar qual deve ser o papel de sua Inteligência.

A Aofi reitera o compromisso dos Oficiais de Inteligência com sua carreira, que é apartidária, e que está sempre a serviço do Estado e da Sociedade brasileiros.

Faz-se necessário que a Comissão de Controle de Atividade de Inteligência CCAI do Congresso Nacional, composta por maioria e minoria, situação e oposição, atue de forma mais próxima da Abin. E, se pairam quaisquer dúvidas sobre a retidão, competência e eficiência da Inteligência de Estado, busquem-se explicações, questione-se ou substitua-se o senhor Wilson Roberto Trezza, que já está há 8 anos como Diretor Geral da Abin.

Share This